sábado, 17 de maio de 2014

A Vingança! Capítulo 8

                                               A Vingança! Capítulo 8 ~ Arun Versus Katsumo!

Após um longo treino…

- Que coisa! Se me contassem aquela história, eu nunca acreditaria…! Como pode ser? – pergunta Ghrishma a Arun.

Arun fecha o punho direito com alguma raiva.

- Eu compreendo perfeitamente…fez-me lembrar o dia…aquele fatídico dia em que eu perdi contra o Katsumo…foi uma derrota humilhante…para mim…eu nunca esquecerei aquele dia…nunca!

- O mestre e o Katsumo ainda eram crianças…mas pronto, a tua raiva eu acho que compreendo… - responde Ghrishma, num suspiro.

Arun sorri para o colega e remata:

- Bom…deixo-te agora…até amanhã!

Enquanto Ghrishma se dirige para o seu quarto, Arun vai ter com Shinta, o seu mestre. Encontra este um pouco perturbado…

- Aquele Ghrishma…fez-me abrir feridas que ainda não sararam! Desta vez, ele foi longe demais! Arun…amanhã…será o último dia dele, ouviste?

Arun abre a boca espantado:

- Mestre? Porquê isso agora? Ele faz o trabalho dele…

Shinta levanta-se chateado e responde:

- Sim! A menos que queiras ser TU a ser eliminado!

Arun endireita-se logo. O seu mestre estava a ficar furioso e ele sentia uma aura de energia muito forte a concentrar-se. Sabia que aquele homem teria algum trunfo caso ele partisse para o ataque…estava quase na hora…depois de ele vencer Katsumo, poderia deixar aquilo… Suspirando, respondeu:

- Não mestre, não é preciso…eu faço isso! Eu tratarei do assunto!

Sem que se apercebessem, Ghrishma escutava-os atrás de um pedestal. Em pânico, apercebeu-se que só lhe restava fugir. Mas não ia fugir de mãos vazias. Correndo para o cofre do esconderijo, agarrou um saco de viagem e começou a enchê-lo de dinheiro.

- Se pensam que fico à espera da morte, estão muito enganados! Está na hora de me pôr a milhas daqui!

Quando o saco ficou cheio, Ghrishma correu o mais que pôde para o porto. Lá, meteu o saco numa lancha e ligado o motor, a lancha começou a avançar para fora da ilha. Sorrindo feliz, ele olhou para trás, fazendo uma vénia.

- Finalmente! Adeus mestre! – gritou Ghrishma, já bem longe da costa.

Feliz da vida, ele abriu o saco e pegou em vários maços de notas. Tanto dinheiro!

- Vou realizar todos os meus sonhos! Custou, mas consegui! – suspirou.

A viagem começava a tornar-se monótona. Ghrishma decidiu ligar o rádio para ter companhia.

E assim…

CABOOUUUMMMMMMMMMMMMMMMM!!!!

O barco foi pelos ares com tamanha explosão.

Um novo dia começa, com o sol a brilhar timidamente.

Era um grande dia para Arun. Iria defrontar Katsumo, o seu sonho. Recordava-se da dor que tinha sido perder contra um miúdo, anos antes. E depois, a proposta de Shinta…é certo que a aceitara, mas no íntimo, Arun sentia-se enjaulado desde essa altura. Começava a ficar farto de aturar aquele homem. Ele tratava-os sempre tão mal, a ele e a Ghrishma… ainda havia mais isso…ele teria de acabar com o colega naquele dia. Ghrishma podia ser um idiota, mas Arun habituara-se a tê-lo por perto. Até podiam pensar em trabalhar juntos quando acabasse aquele maldito torneio…

- Hoje acaba tudo! Vou derrotar aquele maldito miúdo e o tal Hao será canja depois! Ah ah ah ah ah! – respondeu para si mesmo.

 Acabando de se preparar para o combate, vai ter com Shinta. Chegado lá…

- Bom dia mestre!

- Bom dia Arun! Vejo que já arrumaste o Ghrishma! Muito bem! Mwa ah ah ah! – respondeu Shinta com um sorriso diabólico.

- Ah? Como assim? – perguntou, confuso.

Shinta responde:

- Então, comigo não precisas de fingir! Ele não está no quarto, nem sequer desfez a cama! Já andei a rondar e ninguém o viu na ilha! Muito bom trabalho!

Arun ri-se divertido, para disfarçar o embaraço:

- Sim mestre! Ah ah ah ah ah! Foi fácil!

Shinta sorriu:

- É assim mesmo! Vá, acaba com o Katsumo! Vinga-te dele! Mwa ah ah ah!

Arun segue para o ringue, orgulhoso. Shinta vira-se e resmunga entredentes:

- Finalmente! Já falta pouco! Em breve, a vitória será minha! Pouco importa qual de vocês ganhe, já que vos vou destruir a todos! E tu Hao, não perdes pela demora…

- Senhoras e senhores, vamos dar início à próxima meia-final do torneio X! Este combate espectacular, uma verdadeira final antecipada, opõe Arun, que vem da Tailândia…a Katsumo, que vem do Japão!! – exclama o árbitro, perante os gritos do público.

- Katsumo, Arun, boa sorte aos dois! Que vença o melhor! – declarou o árbitro.

O público ovacionou uma vez mais e Shinta, bastante satisfeito, suspirou:

- Finalmente! Já falta pouco! Em breve a vitória será minha!

Arun lançou-me um esgar:

- É hoje! É hoje que me vou vingar de tudo o que me fizeste!

Eu virei-lhe costas e respondi:

- Boa sorte para ti também!

Dong, dong, dong!

- Que comece o combate!

Mal o combate começa, Arun avança sobre Katsumo. Lança-se impiedoso, com uma poderosa combinação de socos, aproximando-se cada vez mais de Katsumo. Katsumo faz os possíveis para se defender, bloqueando os socos, que eram lançados ao peito e à cara. Como Katsumo continuasse a bloquear e a proteger a cara, Arun prosseguia com o ataque, empurrando Katsumo contra uma parede da arena. A dada altura, Arun, para desbloquear a defesa, pega no braço esquerdo de Katsumo e puxa-o com violência, para o fazer perder o equilíbrio. Ao mesmo tempo, com o cotovelo direito, Arun atinge a cabeça de Katsumo.  

Shinta ria-se, completamente extasiado:

- Mwa ah ah ah ah! Katsumo, vais pagar por tudo!

Arun deu por si a pensar:

- “Hummm…ele tem treinado a sério…Este combate vai ser mais interessante do que pensava…

Eu também aproveitei a pausa e comentei para comigo mesmo:

- O Arun está mesmo mais forte e confiante do que da última vez…! Vai ser um bom desafio!

- Então Katsumo? Estás a gostar do aquecimento? Acho que deveríamos começar a lutar a sério! – perguntou Arun, com um sorriso trocista.

Acenei com a cabeça:

- Sim, desta vez concordo contigo!

Katsumo aproveitou a conversa para recuperar um pouco os sentidos e ficar mais atento ao seu oponente. Arun lança-se de novo sobre Katsumo, mas desta vez, Katsumo estava preparado. Arun lança-se para dar dois socos de esquerda, e ao dar um terceiro golpe, desta vez com a direita, Katsumo defende-se. Ele dispersa o golpe, lançando-se com o corpo para a frente e dá um soco com toda a força no plexo solar de Arun! Arun recua ligeiramente. Katsumo lança um pontapé baixo na perna esquerda de Arun. Em seguida, aproveita-se do momento e dá um pontapé lateral na face dele! Katsumo continua com o ataque, saltando e lançando um pontapé rotativo na cara de Arun! Este por sua vez, agarra o pé de Katsumo e aplica uma valente cotovelada no peito de Katsumo! Este cai cheio de dores! Arun ri-se e imponente, afirma:

- Ah ah ah ah! Gostaste, Katsumo? Sente na pele a dor que me provocaste, seu miserável!

- Aiii…ahmmmm…este foi em cheio…mas não posso desistir…! – replicou Katsumo.

- É só o princípio! – declarou Arun.

Katsumo coloca-se imediatamente em pé. Esfregando o peito, ele corre de encontro ao Arun e este ao encontro de Katsumo! Arun dá uma joelhada em salto! Katsumo salta, não só para evitar o golpe, mas também para aplicar dois socos: um no peito e outro na cara de Arun!

- Eles estão em pé de igualdade! – respondeu o árbitro a dada altura.

Katsumo pensava:

- “Como é possível que Arun se tenha tornado tão forte! Ambos estamos feridos, mas, tal como eu, ele não desiste! Se as coisas continuarem assim, vai ser um combate até à morte!

Arun, por sua vez, perdeu-se em pensamentos:

- “O combate está mesmo renhido! Mas como pode este rapaz conseguir antever os meus golpes e ainda me ferir? Onde vai ele buscar tamanho poder?

*Arun recorda-se do primeiro encontro com Shinta*

- Arun, eu dou-te o poder necessário para venceres o Katsumo, mas em troca, quero total lealdade! Vais ficar a treinar com o Ghrishma, assim poderás desenvolver o teu talento! – afirmou Shinta, com ar sério.

- Às suas ordens, mestre! – respondeu Arun, com uma vénia.

Despertando das suas memórias, Arun pensa:

- “Aqueles tempos foram mesmo difíceis…o Ghrishma era um grande lutador, mas o mestre não lhe deu a oportunidade que ele merecia de mostrar o seu potencial…ele não merecia uma punição tão severa… Hummmm…o mestre está a começar a ir longe demais! Espera lá…Não, nem pareço eu..! Concentra-te Arun! Tens um combate para acabar…e ganhar!

Katsumo olha para Arun. Espantado por o ver sem reacção aparente, pensa para consigo mesmo:

- “Arun está diferente…não sei o que aconteceu, mas ele aparenta estar perturbado com algo…está a lutar como nunca vi, mas parece que o seu espírito está ausente…

Shinta levanta-se impaciente e começa a franzir o sobrolho:

- Arun, Arun, Arun….o destino é mesmo cruel…o Katsumo já está em ligeira vantagem e se não te concentrares, vais deitar tudo a perder!

Arun desperta dos seus pensamentos e orgulhoso, vira-se para Katsumo:

- Treinei duramente durante todos estes anos! Chegou a hora de acabarmos com isto! Assim que acabar contigo, recuperarei a honra e o respeito que me roubaste!

Katsumo responde-lhe, determinado:

- Tens razão! Está na hora deste combate terminar!

Recuperado, Arun lança um pontapé lateral, com toda a força. Katsumo defende aquele poderosíssimo ataque, mas acaba por desequilibrar-se. Ao desequilibrar-se, Arun prepara-se para dar outro pontapé na cara, mas Katsumo coloca-se novamente em guarda, tentando absorver o impacto do golpe. O golpe é tão forte, que Katsumo cai e sussurra:

- Não! Como poderei vencer este adversário? Eu não posso perder…

[Continua…]

Sem comentários:

Enviar um comentário

Shaymin Pokeball