quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Análise Pokémon Super Mystery Dungeon

Olá treinadores,
Hoje venho trazer-vos uma análise!

A série de Pokémon Mystery Dungeon dá um “twist” ao que estamos habituados nos jogos de Pokémon: em vez de assumirmos o papel dum treinador, encarnamos a pele de um Pokémon. A premissa tem sido sempre a mesma: somos um humano que por obra milagrosa, se transformou num Pokémon e foi parar a um mundo onde os humanos são objectos de ficção. E neste novo título, nada muda nesse capítulo!

Capa do jogo em Inglês

Pokémon Super Mystery Dungeon é uma experiência inconstante. Ora tem a capacidade de te deixar agarrado ao ecrã da consola com o máximo de atenção, ou então simplesmente faz-te entrar em modo desespero e começares num infindável “button mashing” até que a parte mais secante termine finalmente. Isto acontece porque tens momentos em que a parte de história é infindável e limitadora da tua acção, mas em contrapartida, se fores paciente o suficiente, consegues passar boas horas de entretenimento na parte de verdadeira acção: explorar as cavernas.

A história é muito lenta a arrancar. No início do jogo tens de responder a um inquérito sobre a tua pessoa, inquérito esse que te vai atribuir um Pokémon. Mas calma, uma das vantagens deste jogo é que não te obriga a reiniciares o jogo sempre que te calhar um Pokémon que não gostarias de ser, visto que após o questionário e te atribuir um monstro, perguntam-te se concordas com essa atribuição. Se não concordares, basta escolheres essa opção e automaticamente é te permitido escolheres manualmente com que Pokémon queres embarcar nesta aventura. Tens também hipótese de escolher qual será o teu parceiro e os nomes de ambos os Pokémon são personalizáveis. As listas de monstros que podes escolher estendem-se aos starters de todas as regiões, bem como ao Pikachu e ao Riolu.

Os vários Pokémon que podes escolher para o jogo

Ao iniciares a história propriamente dita, ficas chocado por seres um Pokémon, embora não tenhas memórias da tua vida antes daquele momento. Apenas te lembras que eras um humano. Vais ser perseguido por um grupo de Beheeyem e terás de fugir deles com a ajuda de um Nuzleaf, que te acabará por adoptar assim que chegarem à cidade. Até lá, vão ter de passar juntos por uma dungeon com vários níveis, e vais começando a ter as primeiras luzes de como funciona o jogo. E não digo “primeiras luzes” de forma leviana: o tutorial deste jogo leva, no mínimo, uma hora para passar por completo, e isto é talvez ser optimista. A verdade é que chegando à cidade, vais ser inscrito na escola (visto seres uma criança no mundo Pokémon) e lá é que vais ter várias aulas práticas de como jogar este título como um verdadeiro profissional.

Super Mystery Dungeon destaca-se dos demais jogos desta série. Porquê? Por causa da dificuldade. Se os jogos anteriores eram acusados de serem muito fácies de completar, então desenganem-se, pois Super Mystery Dungeon vem carregadinho de dificuldades e desafios para superar. As primeiras duas dungeons ainda são praticamente fáceis, mas depois disso, e ainda mesmo dentro do tutorial, ficares completamente K.O. não é uma miragem nem um desafio muito grande. Aliás, o sentimento de desespero é provável que te passe pela cabeça algumas vezes. Não só o nível dos inimigos está bastante equilibrado com o teu (por vezes até é superior), mas também podes ser surpreendido por uma Horde de adversários, bem como os teus oponentes podem utilizar ataques como Guillotine, que se calham de acertar, és derrotado instantaneamente.

Exemplo do aspecto de uma dungeon

O sistema de batalha ao estilo Rougelike é uma constante na série e é uma das coisas que caracterizam estes jogos. Aqui temos de saber gerir muito bem as acções que queremos fazer, visto que tudo funciona por turnos. Podemos mover-nos uma casa (vertical, horizontal ou diagonal), atacar, usar um objecto ou até mesmo esperar. Cada acção destas será determinante no sucesso (ou insucesso) da batalha em curso.

No que diz respeito ao especto gráfico do jogo, aí é onde não podemos reclamar nem um pouco! Super Mystery Dungeon está repleto de cores e pequenos detalhes que torna este um título agradável à vista. Os modelos 3D dos Pokémon também estão muito bem conseguidos e bem trabalhados nos seus vários detalhes. Por exemplo, nesta análise utilizei o Cyndaquil como meu Pokémon e quando atacava, apareciam as chamas nas costas do Pokémon, como seria expectável.



Resumindo, Pokémon Super Mystery Dungeon é um jogo que é muito, mas ao mesmo tempo, podia ser mais. Torna-se um jogo inconstante e obriga o jogador a, por vezes, ter uma paciência quase infinita para ultrapassar detalhes da história que nos limitam a gameplay. Tenta elevar a fasquia dos antecessores ao ser mais exigente, mas estraga tudo com os momentos de tédio. A história longa podia ser um ponto forte, mas é fácil vê-la como um inimigo. No entanto, as opções são infinitas e tudo pode acontecer dentro duma dungeon. Tanto podes passar uns níveis com facilidade, como de repente estás embrulhado em hordes em que temes não conseguir progredir mais.

Vejo-me forçado a dar uma nota de 7 Connection Orbs em 10 Connections Orbs a este jogo, quando claramente havia potencial para ter uma pontuação mais elevada.

Vê o vídeo da análise no Eon Link:


E lê a análise completa na MegaZine de Fevereiro!


Jikai madde, minna!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Shaymin Pokeball