Pokémon Evolutions – Análise Episódio 4

Img1

Boas, minha gente!

Cá estamos nós de novo, para mais uma análise de Pokémon Evolutions, desta feita, o episódio 4, com o título “The Plan“.

O episódio começa com uma voz, que se revela ser de Ghetsis, a dizer que esperou tanto tempo e que manteve o seu silêncio para que o seu plano não pudesse ser descoberto. Ele conta-nos então a história do seu plano.

O Ghetsis não podia tornar-se no herói e obter o Pokémon Lendário, por isso encontrou alguém para isso. Um pequeno rapaz, chamado N, que foi criado por Pokémon.

Vemos N numa floresta, a brincar com um Darmanitan, um Zorua e um Woobat. Surge uma figura, que se revela Ghetsis e os Pokémon começa a rosnar, preparando-se para se defenderem, bem como a N. N assegura-lhes que não há problema, sem falar uma palavra. Dirige-se então para o Ghetsis, enquanto ouvimos este último a dizer que passou a providenciar a N tudo o que este precisava para se tornar o Herói das lendas, bem como o Rei da Team Plasma.

Vemos então o momento da coroação de N. Os Seven Sages, com a exceção de Ghetsis, postram-se quando N passa, em sinal de reverência. Também as irmãs adotivas de N lá estão.

Ghetsis diz que incutiu ideais em N, para que este quisesse mudar o mundo. Só então, poderiam espalhar a mensagem.

Img1
“Vida longa ao Rei!”

Em Accumula Town, enquanto Hilda brinca com o seu Tepig, Ghetsis discursa sobre a libertação dos Pokémon. Hilda aproxima-se e dá ao seu Tepig uma Oran Berry, enquanto N a observa.

Ghetsis diz que testou N, ao dar-lhe a Dark Stone para invocar Zekrom, na Dragonspiral Tower. O Rei assim o faz, e em seguida, vemos N ás costas de Zekrom a voar por cima da região de Unova. Ghetsis diz então que N é merecedor de ter o mesmo nome que Ghetsis: Harmonia.

A Team Plasma construiu um castelo à volta da Liga Pokémon, como forma de dizer que Unova vai mudar.

Em seguida vemos Alder, campeão da Liga, a defrontar N, que está acompanhado do Zekrom. Enquanto os Pokémon se atacam mutuamente, Alder diz a N que Ghetsis é um mentiroso, e que enganou toda a gente. Num ataque surpresa, Zekrom vence Volcarona, sagrando N campeão.

As irmãs adotivas de N, Anthea e Concordia, pedem-lhe para ignorar o seu “destino” e que siga o seu coração, pois lá dentro, N é puro e inocente, e que não há nada mais belo e aterrador que a inocência.

Img2
“Olha lá, N, lá porque és o Rei da Team Plasma, não que dizer que deixas de arrumar o teu quarto. Já viste isto?”

Ghetsis diz que o seu plano está quase completo. Este aproxima-se de Hilda, que quer parar N, e diz que a Team Plasma vai libertar todos os Pokémon de todas as pessoas, para depois dominar o mundo.

Hilda apresenta a Light Stone, e Ghetsis diz que quer para manter o mundo tal como é agora, Hilda tem de combater com N.

No seu trono, N espera. Hilda aproxima-se e N chama por Zekrom. A batalha está prestes a começar.

Ghetsis diz que não vai permitir que ninguém o pare, e que o mundo será dele. 

Tema deste episódio:

Vamos por partes: Dominar o mundo é mau. Tendo dito isto, o plano de Ghetsis é, no mínimo, brilhante. Apregoar a libertação dos Pokémon para, no fim, ele ser o único Treinador á face da Terra? Muito bem pensado.

Só que não.

Os ideais de N são tornar as pessoas e Pokémon iguais. Salvo raros casos, já são. As pessoas e os Pokémon trabalham lado a lado para tornar o seu mundo melhor. Por cada pessoa como o Ghetsis que haja no mundo, há muito mais pessoas (e Pokémon) que querem repor o estado normal das coisas.

Temos um excelente exemplo na nossa própria história. Na madrugada do dia 25 de abril de 1974, o Capitão Salgueiro Maia, ao dirigir-se aos 240 soldados que o acompanhavam, disse as seguintes palavras: “Há diversas modalidades de Estado: os estados socialistas, os estados corporativos e o estado a que isto chegou! Ora, nesta noite solene, vamos acabar com o estado a que chegámos.”

Porquê citar Salgueiro Maia num artigo relacionado com Pokémon? Quando alguém quer dominar o mundo, há sempre alguém que se opõe. No caso específico de Pokémon, apenas a Team Plasma quer a “libertação” dos Pokémon, mas ao fazer isto, estaria a roubar-lhes a liberdade. Os Pokémon são criaturas livres, que coexistem connosco por sua livre vontade, pelo menos a maior parte das espécies. Retirar-lhes essa liberdade é o ponto fulcral do plano de Ghetsis, mas também a sua perdição.

E fico-me por aqui, minha gente! Sempre que existirem notícias do mundo Pokémon, contem com o Poké Center Blog para vos informar.

Até à próxima!



Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.